Investigando sombras, iluminando crimes (Juliana Meanda)

A presente dissertação tem como objetivo central investigar o processo de construção identitária feminina na série de ficção detetivesca chicana da escritora Lucha Corpi. O corpus selecionado é composto pelas três primeiras obras da sequência: Eulogy for a Brown Angel (1992), Cactus Blood (1995) e Black Widow’s Wardrobe (1999). Essas narrativas trazem como protagonista Gloria Damasco, a primeira detetive feminina da literatura chicana, através da qual são levantadas diversas questões relevantes para a construção identitária, que envolvem o contexto cultural, histórico, social e político desta comunidade subalternizada dentro dos Estados Unidos por possuir origens mexicanas. São promovidas releituras históricas e mergulhos culturais por meio do resgate de símbolos, mitos e eventos marcantes para a coletividade chicana, evidenciando que este termo não abarca um grupo homogêneo, mas que mesmo havendo questões comuns, há ainda muitas desigualdades internas, especialmente quanto à condição da mulher. A questão identitária em Corpi foge a uma concepção essencial, sendo tomada como processo em contínua construção na relação de elementos tais como gênero, etnia, memória e história e também da representação e de recursos discursivos em constante dinâmica, em um contexto fortemente marcado pelo hibridismo, o espaço da fronteira México-Estados Unidos. Gloria é uma detetive desviante da norma padrão, baseada na racionalidade, uma vez que seu método investigativo envolve seu lado emocional e até mesmo espiritual, ao manifestar uma espécie de clarividência, ou percepção extrassensorial, que se apresenta na forma de intuições, sonhos e visões. Assim, diversos binarismos são problematizados, criando perspectivas alternativas com o propósito de transcender opressões e empreender resistência cultural. Buscase observar o desenvolvimento da protagonista ao longo das três obras e também analisar outras personagens femininas de relevância para a questão identitária feminina chicana, além de examinar aspectos do contexto social, delineando os principais traços da cultura e história chicanas abordados pela autora. A partir dos caminhos apontados pelas obras, são estabelecidos diálogos conceituais pertinentes sobre âmbitos teóricos dos estudos chicanos, dos estudos culturais, do feminismo, dos estudos pós-coloniais, dos estudos decoloniais e da ficção criminal, levantando questões que levem à reflexão acerca do papel da literatura de crime no cenário contemporâneo, evidenciando a ficção detetivesca como um espaço de crítica e denúncia.

Para ler a dissertação na íntegra, clique aqui.

Etiquetas , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *